quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A fé que rompe limites


    Fé, palavra de origem grega (pistis) que significa convicção, confiança, crédito, fidelidade e persuasão. No cenário do novo testamento fé é o principio divinamente implantado da confiança em Deus e em tudo o que ele fala.
   A palavra diz no livro de hebreus 11.1 que “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem. Então a fé é a certeza que fundamenta aquilo que nós esperamos, é, também, o sentimento que concretiza o desejo que levantamos a Deus como oração. Quando o autor de hebreus diz que a fé é o fundamento, ele esta afirmando que a nossa oração, súplica ou desejo deve estar sobre esta base para podermos alcançar aquilo que necessitamos.
   Em marcos 7. 24-30 conta-se a história de uma mulher que era de outro país, e que no instante em que Jesus chegou numa casa esta mulher se lançou aos seus pés, e num ato de fé clamou a Jesus por sua filha enferma. Jesus então lança uma palavra sobre a vida dela e ela tendo fé acreditou naquela palavra e voltou para sua casa.
    A fé que rompe limites, que ultrapassa as dificuldades, que vence os obstáculos está alicerçada em três princípios fundamentais.
1.      A palavra- Quando acreditamos e confiamos na palavra proferida por Deus a nossa fé se torna inabalável, ou seja, nada poderá abalar ou desfazer a certeza que temos. Lucas 7,1-10 conta a história de um centurião que alcançou um milagre na sua casa porque teve fé na palavra liberada por Jesus. Ele disse: “dize, porém uma palavra e o meu servo será curado.” (lc 7.7c) Jesus chega a declarar sobre aquele homem “digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé”
2.      A perseverança- O apostolo Paulo disse em tessalonicenses 5.17 “orai sem cessar.” Ou seja, precisamos em todo tempo buscar sem parar, e crendo todo o tempo no milagre, na efetivação daquilo que pedimos. A fé baseada na perseverança torna-se infindável, não existirão limites, ou situações que não possamos vencer. Tiago disse perseverai até o fim e vos será dado a coroa da vida (Tg 1.12)
3.      Atitude- Em muitas situações não conseguimos alcançar o que pedimos a Deus, por falta de atitude, a fé sem atitude é morta, não há fé sem a movimentação do nosso ser em direção ao Senhor. Em Lucas 8.25 Jesus pergunta aos seus discípulos: onde está a vossa fé? Isso porque eles deixaram que a intensidade do problema fosse maior do que a atitude de fé. Não importa o que enfrentaremos se tivermos atitude nós venceremos, sim, a tempestade. A atitude de fé nos leva a vitória. (Ex. Daniel na cova dos leões/ Davi contra o gigante)
   Todo ato de fé necessita da palavra que fundamenta, da perseverança que faz romper, e da atitude que nos leva a vitória. A palavra diz que em Cristo somos mais que vencedores. Exerça sua fé e alcance as promessas de Deus que estão sendo liberadas sobre nossas vidas. Faça da sua fé o fundamento de suas vitórias, e permaneça firme nos propósitos e convicções liberadas pela palavra de Deus.

Pr. Eugenio Serlam

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Coração de discípulos


“Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos observem os meus caminhos”. Pv: 23.26
    
   Falar sobre discípulo é descrever sobre a profundidade e a qualidade de alguém que assimila os ensinamentos de um mestre. A palavra discípulo significa aquele que aprende de alguém, ou que segue os princípios de um mestre. De um modo preeminente se dá a qualidade de discípulo, ou em geral àqueles que deixaram tudo para estar com Jesus, e de um modo mais restrito aos apóstolos.
   Discípulo se diferencia de um mero aluno porque enquanto o segundo aprende o primeiro assimila, e assimilar é viver de maneira eficaz cada aprendizado da vida, é trazer a tona todas as verdades de um ensinamento. Enquanto o aluno olha para o seu caderno de exercícios e atividades, o discípulo olha para o manual de vida e fé e prática, a Bíblia. Enquanto o aluno enxerga uma profissão o discípulo se apropria de um ministério. Enquanto o aluno busca realizar uma prova para obter sua aprovação, o discípulo faz de cada prova uma conquista alcançada. 
   Se existe algo que podemos entregar verdadeiramente a Deus é o nosso coração. Pois quando o Senhor tem todo o nosso coração ele tem, também, todo o restante do nosso ser. A palavra diz “amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, com toda tua alma e com todo teu entendimento” (MT 22.37)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

No esconderijo de Deus


  

Antes, deu ordem o rei jerameel, filho de Hamaleque, e a seraías, filho de azriel, e a selemias, filho de Abdiel, que prendessem Baruque, o escrivão, e a Jeremias, o profeta. Mas o Senhor tinha-os escondido”. Jr 36.26

  Esconderijo segundo o dicionário da língua portuguesa é o lugar onde alguém ou algo se esconde. Uma espécie de abrigo, um refúgio. Buscar um esconderijo é buscar um lugar seguro, um ponto de apoio às necessidades e provações que surgem ao longo da caminhada cristã. Todos nós, um dia já tivemos, ja passamos, ou nos refugiamos num esconderijo, mais tal como o que será apresentado neste esboço, acredito que ainda não. Então respire fundo, e mergulhe nas águas da renovação.   
   Quando observamos o texto descrito em Jeremias 36.26 percebemos uma perseguição intensa sobre a vida de Baruq o escrivão e Jeremias o profeta, havia um mandato de prisão conta a vida daqueles homens de Deus. Um grande levante estava sendo levantado contra O profeta e o seu discípulo.
   Era intenso o clímax gerado nesta situação. Alguns dos profetas e sacerdotes aconselharam os dois homens a fugirem, e a fuga estava se tornando necessária.  Em Jr 6.1 diz “fugi para a salvação vossa filhos de benjamim”. A palavra de Deus nos aconselha algumas fugas altamente necessárias para a edificação do homem de Deus.
   I Coríntios 6.8 nos aconselha a fugir da prostituição, Em Coríntios 10.14 diz “portanto fugi da idolatria” duas situações extremamente necessárias para a construção do caráter do ministro do Senhor. I Timóteo 6.11 diz “mas tu, ó homem de Deus foge destas coisas e segue a piedade, a fé, a caridade, a paciência e a mansidão”.
   Em algumas situações a fuga é a melhor estratégia. José fugiu da mulher de faraó, quando esta o queria, Mateus 2.13 relata que o anjo do senhor aconselhou a José e Maria a fugirem com o menino para o Egito. A Bíblia descreve em êxodo 2.15 que Moisés fugiu da presença de faraó. “A fuga não é sinônimo de covardia, mais sim de discernimento”.
   No texto de Jeremias há um detalhe profundo que precisamos perceber, a palavra diz “o Senhor havia os escondidos”. A grande diferença na hora da fuga é sabermos a direção pra onde devemos ir. Em Reis a Bíblia diz que o profeta Elias fugiu para o deserto, e isso foi à causa de sua fragilidade ministerial. Não é pelos problemas ou pelas circunstâncias que devemos fugir, mas, sim, para onde o Senhor quer nos levar.
   Salmo 11.1 diz “No senhor confio; como dizeis, pois, à minha alma: foge para a tua montanha como pássaro”. Diante do grande problema Deus estava dizendo ao salmista foge para a tua montanha, para o lugar da intimidade. No momento da tribulação precisamos ir ao lugar da intimidade, o esconderijo de Deus, é para lá que o Senhor quer nos levar. Baruq e Jeremias fugiram não por medo de encarar o problema, mas sim, para buscar a solução no esconderijo de Deus.
   No esconderijo do altíssimo encontramos intimidade, descanso, força e confiança. A palavra diz no salmo 91.1 “Aquele que descansa no esconderijo do altíssimo, descansará à sobra do onipotente”. Jeremias e Baruq precisavam ir ao esconderijo do Senhor para poderem enfrentar com mais força o que viria pela frente! A presença de Deus não é qualquer esconderijo, a presença de Deus é o esconderijo preferido do profeta, Seja na caverna, no ventre do peixe, no cume do monte, no deserto, ou na tenda. Entre no esconderijo de Deus.

Pr. Eugênio Serlam

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

  O Ano de 2012 para o nosso ministério é o ano da renovação, tempo onde todas as áreas ministeriais, ministros e povo serão alvo de uma impactante renovação que contagiará criança, velho, jovem e adulto. è chegado o tempo onde nosso rebanho viverá a renovação que vem do alto e sublime trono do Santo de Israel. O ANO DA RENOVAÇÃO chegou para gerar naqueles que não enxergavam, uma visão profunda e magestosa do Reino de Deus.
   Em I Sm 11.14 diz " Vinde, Vamo-nos a gilgal e alí renovaremos o reino" Assim como o profeta samuel convocou o exército do povo a ir a gilgal (circulo de pedras) para renovar o reino, nós, também, levantamos uma geração que decidiu em seu coração renovar tudo em todos.
Feliz ano da renovação.